Desigualdade, território e educação: estratificação geoeducacional no interior de Minas Gerais – Brasil

Vanessa Gomes de Castro

Resumen


Analisa-se a estratificação geoeducacional no interior de Minas Gerais (Brasil), em especial no Vale do Jequitinhonha. Objetiva-se refletir sobre a democratização do acesso à educação, dada a histórica desigualdade geoeconômica que caracteriza o Brasil e se reflete em Minas Gerais, sobretudo no Vale do Jequitinhonha, uma das regiões mais vulneráveis do estado. São analisados dados do Censo Escolar entre 2017 e 2021, bem como dados da Plataforma Nilo Peçanha. Conclui-se que a democratização de oportunidades educacionais, que havia sinalizado avanços no início do século, demonstra relativa estagnação nos últimos cinco anos, com decréscimo de matrículas em todos os níveis da educação básica, ao contrário do que é proposto nas metas do Plano Nacional de Educação (2014-2024).

Texto completo:

PDF

Referencias


Althusser, L. (1985). Aparelhos ideológicos de Estado: nota sobre os aparelhos ideológicos de Estado. 2º ed. Rio de Janeiro: Graal.

Andrade, L. T., Silveira, L. S. (2014). Efeito-território: explorações em torno de um conceito sociológico. Civitas - Revista de Ciências Sociais, 13(2) p. 381-402.

Ansani, C. V. (2016). Educação do Campo no Vale do Jequitinhonha: um olhar sobre o PROCAMPO. (Dissertação Mestrado Profissional). Programa de Pós-Graduação em Ciências Humanas da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, Diamantina.

Barbosa, M. L. O. (2009). Desigualdade e Desempenho: Uma introdução à sociologia da escola brasileira. Belo Horizonte: Editora Argvmentvm.

Beltrão, K. I. & Alves, J. E. D. (2013). A reversão do hiato de gênero na educação brasileira no século XX. Cadernos de Pesquisa, 39(136), p.125-156.

Bernasconi, M. S., Golovanevsky, L. A. & Romero, M. A. (2019). Desigualdad y desarrollo: Multidimensionalidad y heterogeneidad estructural. Lavboratorio, 29, p 15-35.

Bourdieu, P. & Passeron, J. C. (1970). La Reproduction – Éléments pour une théorie du système d’enseignement. Paris: Ed. Minuit.

Bourdieu, P. (2008). Efeitos do Lugar. In: Bourdieu, P. (Org.). A miséria do mundo. Petrópolis: Vozes, p. 159-175.

Bowles, S. & Gintis, H. (1976). Schooling in Capitalist America. New York: Ed. Basic Books.

Brasil (2014). Ministério da Educação. Planejando a Próxima Década. Conhecendo as 20 Metas do Plano Nacional de Educação. Ministério da Educação/Secretaria de Articulação com os Sistemas de Ensino (MEC/SASE).

Brasil (2021). Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Resumo Técnico do Censo Escolar da Educação Básica.

Coleman, J. S. et al. (1966). Report on Equality of Educational Opportunity.Washington: National Center For Educational Statistics.

Costa, M., & Koslinkski, M. C. (2012). Escolha, estratégia e competição por escolas públicas. Pro-Posições. Campinas, 23(2), p. 195-213.

Dayrell, C. A. (2011). Rebeldia nos Sertões. In: Agriculturas, 8(4), p. 9-14.

Dourado; L. F.& Oliveira, J. F. (2009). A qualidade da educação: perspectivas e desafios. Cadernos Cedes, Campinas, 29(78), p. 201-215.

Érnica, M., & Batista, M. A. G. (2012). A Escola, a metrópole e a vizinhança vulnerável. Cadernos de Pesquisa, 42(146), p. 640-666.

Fernandes, B. M. (2008). Entrando nos territórios do território. In: Paulino, E. T., & Fabrini, J. E. Campesinato e territórios em disputa. São Paulo: Expressão Popular, p. 273-302.

Ferretti, C. J. (2018). A Reforma do Ensino Médio e sua questionável concepção de qualidade da educação. Estudos Avançados, São Paulo, 32 (93), p. 25-42.

Frigotto, G. (2021). Sociedade e educação no Governo Bolsonaro: anulação de direitos universais, desumanização e violência. Revista Desenvolvimento e Civilização (2)2.

Fundação João Pinheiro (2017). Plano de desenvolvimento para o Vale do Jequitinhonha: educação, saúde, assistência social, cultura e segurança pública, 4.

Girotto, E. D. & Oliveira, J. V. P. (2021). Escola, território e desigualdade: Ampliando perspectivas teóricas e agendas de pesquisa. Revista da ANPEGE, 17(32) p. 49-64.

Haesbaert, R. (1999). Identidades Territoriais. In: Rosendahl, Z, &; Corrêa, R. L. (Org.). Manifestações da cultura no espaço. Rio de Janeiro: UERJ, p. 169-190.

Halsey A. H., Floud, J. & Anderson. C. (Eds.). (1961). Education, economy and society: a reader in the sociology of education. London: Collier Macmillan Limited.

Halsey A. H., Lauder, H., Brown, P. &Wells, A. S. (Eds.). (1997). Education: culture, economy and society. Oxford: Oxford University Press, 1997.

Hasenbalg, C. A transição da escola ao mercado de trabalho. (2003). In: Hasenbalg, C. & Silva, N. V. (Org.). Origens e destinos: desigualdades sociais ao longo da vida. Rio de Janeiro: Top Books, p.147- 172.

Instituto Federal do Norte de Minas Gerais. Plano de Desenvolvimento Institucional 2014 a 2018. Disponível em https://www.ifnmg.edu.br/pdi

Instituto Federal do Norte de Minas Gerais. Plano de Desenvolvimento Institucional 2019 a 2023. Disponível em https://www.ifnmg.edu.br/pdi

Instituto Federal do Norte de Minas Gerais. Políticas de Assistência Estudantil. Disponível em https://www.ifnmg.edu.br/assistencia-estudantil-aracuai/apresentacao

Instituto Federal do Norte de Minas Gerais. Processo Seletivo Diferenciado. Disponível em: https://www.ifnmg.edu.br/noticias-ara/noticias-2019/22678-campus-aracuai-segue-com-inscricoes-abertas-para-processo-seletivo-diferenciado.

Koslinski, M. C. & Alves, F. (2012). Novos olhares para as desigualdades de oportunidades educacionais: a segregação residencial e a relação favela asfalto no contexto carioca. Educação e Sociedade, 33(120), p. 805-831.

Mont’alvão, A. (2011). Estratificação Educacional no Brasil do Século XXI. Dados: Revista de Ciências Sociais, 54(2), p. 389-430.

Neubert, L. F. (2014). Expansão educacional e desigualdade de raça no Brasil. Educação em Foco, 18(3), p.117-146.

Nogueira, M. A.(1990). A sociologia da educação do final dos anos 60 / início dos anos 70: o nascimento do paradigma da reprodução. Em Aberto 9(46), p. 49-58.

Oliveira Filho, E. R.(2021). A importância social do Campus Araçuaí do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais para a região de abrangência. ReviVale 1(1).

Pierucci, L. A. M, Franzini, J. & Lima, J. B. Q. (2018). O contexto social e educacional nas veredas do Vale do Jequitinhonha. Revista Vozes dos Vales, 13, p. 1-23.

Raffestin, C. (1993). Por uma Geografia do poder. São Paulo: Editora Ática.

Riani, J. L. R., Saraiva, A. L., Soares, H. T. M., Franceschini, V. L. C. & Evangelista, S. S. (2019). Educação no Alto e Médio/Baixo Jequitinhonha: panorama geral e propostas de ações. In: 18º Seminário de Diamantina. Anais do 18º Seminário de Diamantina.

Ribeiro, C. A. C. (2003). Estrutura de classe e mobilidade social no Brasil. Bauru: EDUSC.

Ribeiro, E. M., Galizoni, F. M., Silvestre, L. H. A., Calixto, J. S., Assis, T. P., & Ayres, E. B. (2007). Agricultura familiar e programas de desenvolvimento rural no Alto Jequitinhonha. Revista de Economia e Sociologia Rural, 45, p. 1075-1102.

Ribeiro, L. C. Q., & Koslinkski, M. C. (2009). Efeito metrópole e acesso às oportunidades educacionais. Reviste EURE, 35(106), p. 101-129.

Ribeiro, V. M., & Vóvio, C. L. (2017). Desigualdade escolar e vulnerabilidade social no território. Educar em Revista, Curitiba, n. Especial (2).

Santos, L. A., Baccega, M. V. A. & Mateus, Y. G. A. S. (2021). O Golpe de 2016 e o Futuro da Democracia no Brasil. São Luís: EDUFMA.

Santos, M. (1996) A natureza do espaço – Técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Hucitec.

Santos, M. (1999). O Dinheiro e o Território. Geographia: Revista da Pós-Graduação em Geografia, Rio de Janeiro, 1(1), p. 7-13.

Saquet, M. A.(2010) Abordagens e concepções de território. São Paulo. Editora Expressão Popular.

Silva, P. A. S. (2015). Território: abordagens e concepções. Boletim DATALUTA, (96) 2015.

Tavares Jr., F.(2003) Desigualdade Social e Expansão Educacional no Brasil. In: XI Congresso da Sociedade Brasileira de Sociologia, Campinas, 2003. Anais.

Tavares Jr., F., Feres, F. L. C. & Freguglia, R. S. (2014). A Produção da Exclusão Educacional no Brasil. Educação em Foco, Juiz de Fora, 18(3) p. 51-81.

Torres, H. G., Ferreira, M. P., & Gomes, S. (2005). Educação e segregação social: explorando as relações de vizinhança. In: Marques, E. & Torres. H.G. (Org.). São Paulo: segregação, pobreza e desigualdade. São Paulo: Editora do SENAC, p. 123-142.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.



Estadísticas
Visitas al Resumen:76
PDF:41


Lavboratorio. Revista de Estudios sobre Cambio Estructural y Desigualdad Social.

ISSN en línea 1852-4435
Pte. J. E. Uriburu 950, 6º - C1114AAD - Ciudad de Buenos Aires, Argentina
Tel.: +54 11 4508 3815
e_lavbor@sociales.uba.ar

 Facebook Twitter Instagram

@lavboratorio

 

Licencia de Creative Commons
Lavboratorio está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.