O Referendo colombiano de 2003 e seu ambiente informacional

Daiane Boelhouwer Menezes

Resumen


Uma das críticas mais comuns às campanhas diz respeito sua falta de substância. Uma maneira de medir se uma campanha é substantiva é averiguar se houve uma discussão pública aberta entre as partes, ou seja, se houve uma quantidade razoável de diálogo. O caso do referendo colombiano de 2003 é peculiar. Os cidadãos foram consultados a respeito de 15 pontos distintos, o que representou, na prática, 15 referendos diferentes. Esta situação possibilitou às campanhas escolherem determinados temas para enfatizar. O que se propõe aqui é analisar, com base no modelo de Adam F. Simon, os 443 textos publicados no jornal de maior circulação da Colômbia, o El Tiempo , que trataram do referendo no período entre 25 de agosto e 25 de outubro de 2003 (o dia da votação), para aferir o grau de diálogo desta campanha e saber se o jornal fez sua parte no processo deliberativo necessário para a decisão sobre a alteração da Constituição do país. Conclui-se que o El Tiempo apresentou um volume de diálogo superior aos encontrados em outras campanhas, embora a exposição da complexidade das quinze perguntas da consulta, em que apenas uma foi aprovada, tenha tornado o processo decisório mais difícil. 


Texto completo:

1-21

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.



Estadísticas
Visitas al Resumen:26
1-21:14


Copyright (c) 2020 e-l@tina. Revista electrónica de estudios latinoamericanos

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional.

e-l@tina. Revista electrónica de estudios latinoamericanos - ISSN 1666-9606 - contacto: revista.elatina@gmail.com
o en facebook

Licencia Creative Commons Atribución-NoComercial 4.0 Internacional